terça-feira, 15 de setembro de 2015

MAZE RUNNER: PROVA DE FOGO - REVIEW


“Maze Runner: Prova de Fogo” é a continuação da saga pós-apocalíptica iniciada com “Maze Runner: Correr ou Morrer” em 2014. Essa sequência conta mais uma vez como os jovens Dylan O’Brien, Kaya Scodelario e Thomas Brodie-Sangster no elenco principal. A produção tem previsão de estreia para esta quinta, 17 de setembro e é uma grande aposta entre o público jovem.

O público-alvo desse filme, classificado como Young Adult, ou infanto-juvenil aqui no Brasil, tem sido bombardeado de adaptações de livros para o cinema desde que “Harry Potter” e “Crepúsculo” abriram a porta para essa demanda do mercado. As séries “Divergente”, “Jogos Vorazes”, “O Doador de Memórias” bem como os livros de John Green, Meg Cabot e Gayle Forman são alguns exemplos de livros e autores que estão muito em evidência com a exploração desse target. Não que isso seja necessariamente uma coisa ruim. É muito louvável que esses autores consigam atrair essa faixa etária para o mundo das letras. E como esta geração é 100% audiovisual, a transição para o cinema é quase uma obrigação nessa indústria.

No caso de “Maze Runner: Prova de Fogo”, o que se apresenta é uma boa obra de entretenimento, com generosas doses de suspense e ação muito bem executadas. Na história, continuamos a acompanhar a saga do jovem Thomas que, depois de superar os desafios do labirinto do primeiro filme e escapar do cativeiro da C.R.U.E.L. (ou assim ele pensava), parte em uma aventura num inóspito deserto cheio de novas ameaças e desafios onde ele e seus amigos precisarão fazer novos aliados e tomar decisões que colocarão a vida de todos em risco.

Um dos pontos altos do filme é a atuação de Dylan O’Brien (mais conhecido pela série “Teen Wolf”) que mostra boa consistência numa performance bem apropriada para o que o filme pede. Outra ponto positivo da produção é a fotografia, com belos enquadramentos dessa paisagem distópica somada a uma composição interessante de cores – os tons ocre, areia e cinza são muito bem utilizados.

Entretanto, o filme apresenta algumas falhas imperdoáveis no roteiro com furos que, mesmo que não chegue a comprometer o saldo geral, soa forçado e deixa o espectador com a sobrancelha levantada tentando entender o que diabos está acontecendo. A grande desvantagem do filme é justamente não oferecer nenhuma resolução para as questões levantadas no primeiro longa.Quem não assistiu ao filme anterior vai ficar com a sensação de pegar o bonde andando. E pior – vai ter esperar o já confirmado terceiro filme para entender a trama.


Mesmo assim, “Maze Runner: Prova de Fogo” é um bom filme e vale o investimento do seu ingresso. Seu maior mérito é ser uma obra de qualidade, com um leve frescor de originalidade quando consideramos o segmento cinematográfico destinado ao público jovem tão saturados de histórias medíocres e mal feitas.

Veja o trailer:

Nenhum comentário:

Postar um comentário