quarta-feira, 24 de junho de 2015

VIRANDO A PÁGINA - REVIEW

"Virando a Página" é um daqueles filmes fofos e descompromissados para se ver numa tarde chuvosa comendo bombom. Apesar de ter um roteiro bem redondinho, a trama não é muito inspirada e se apóia muito no carisma de Marisa Tomei e Hugh Grant, o casal protagonista.

Na história, Keith Michaels (Grant) é um roteirista de Hollywood que, após um único grande êxito em sua filmografia, é obrigado a lecionar em uma universidade para ter como se sustentar. Ele deixa a ensolarada Los Angeles e segue para a chuvosa Binghamton, nos arredores de Nova York. Assim, do convívio com seus alunos e a descoberta de um novo interesse amoroso, surge a oportunidade de Michaels dar um novo fôlego a sua quase extinta carreira. 

Grant está como sempre, interpretando o mesmo papel desde "Quatro Casamentos e um Funeral. Pode-se dizer que Keith é uma mistura de Alex Fletcher de "Letra e Música" com Will Freeman de "Um Grande Garoto": um homem cínico, egocêntrico, fracassado (que já teve dias de glória) que se transforma ao encontrar algum significado em sua vida solitária. 

Marisa Tomei dá uma certa credibilidade a uma personagem que poderia facilmente cair na caricatura e se tornar chata. Ainda bem que não o que acontece aqui.

Conclusão: o filme é legal, mas não espere se surpreender. 
"Virando a Página" já está em cartaz em todo Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário